Visto americano vai exigir dados das redes sociais

Está pensando em pedir a renovação de seu visto americano? Então é bom tomar cuidado com o que posta no Facebook ou Twitter. Segundo anúncio do Departamento de Estado Americano, as pessoas que se candidatarem a um visto no país terão que seguir novas regras. Será preciso disponibilizar junto com o formulário, informações de suas redes sociais nos últimos 5 anos.

Mas não para por aí. Segundo as novas regras, além da documentação de praxe, os interessados deverão enviar endereços de e-mail e telefones recentes. Essas novas exigências tiverem repercussão primeiramente em março de 2018. Essas novas medidas atendem a determinação do presidente Donald Trump que busca aumentar a segurança aos solicitantes de visto.

Visto americano vai exigir dados das redes sociais
Visto americano vai exigir dados das redes sociais

Quem precisará fornecer as informações para obter o visto americano

De acordo com as novas normas, a grande maioria das pessoas que se candidatarem a um visto nos EUA, deverão fornecer seus nomes de usuários em redes sociais para averiguação. Serão obrigadas também as pessoas que estiverem fazendo turismo, trabalhando ou estudando no país. Porém, alguns tipos de vistos diplomáticos estão isentos das novas normas.

Contudo, antes essa obrigação só era imposta a pessoas que estivessem sendo investigadas em seus países de origem. Pessoas que tiveram passagem em partes do mundo submetidas a grupos radicais também era monitoradas.

Primeiramente, os formulários de solicitação trazem uma série de redes sociais para preenchimento. O candidato é obrigado a informar as contas sociais que tem ativas ou que estiveram nos últimos 5 anos.

Como adicional, o candidato também pode fornecer mais informações sobre outras redes sociais não listadas no formulário. Internautas que tiveram acesso ao formulário relatam que o processo ficou muito complicado. De acordo com fontes da imigração, quem mentir sobre o uso das redes sociais irá enfrentar consequências sérias na imigração.

Reações as novas medidas

A previsão em 2018 era de que mais de 14,7 milhões de pessoas por ano seriam afetadas pelas novas regras. Entretanto, duras críticas foram feitas pela União Americana pelas Liberdades Civis.

Alegações quanto a não legitimidade dessas informações foram levantadas. De acordo com a União, as pessoas poderiam ser levadas a se inibirem. O direito a qualquer brincadeira ou comentário na rede poderia ser levado a sério.

Os candidatos por sua vez também não se mostraram felizes. Essa medida chegou a ser apelidada de “Big Brother nos Estados Unidos”. Jornalistas como Peter Clarke e Kumar Manish da Índia afirmam que as medidas são invasivas.

Recomendaram que os internautas pensem duas ou três vezes antes de postarem qualquer coisa. Em contrapartida disso, o sonho americano poderia ir por água abaixo.

Em resposta a tantas críticas, o governo dos Estados Unidos diz que está trabalhando para ajustar melhores mecanismos de controle pois alegam estar melhorando seus processos de triagem com vistas a proteger o cidadão americano. Em resumo, o Departamento alega que com isso, está apoiando o crescimento das viagens legais aos Estados Unidos.

Gostou do artigo? Veja nossa sessão Viagens para saber mais. Até o próximo.