Títulos Públicos do Tesouro Direto – Aprenda Mais

Por definição, Títulos Públicos do Tesouro Direto são papéis emitidos pelo Tesouro Nacional. Em resumo, eles representam uma estratégia para financiar a dívida pública e ainda conseguir que os investidores “emprestem” valores financeiros para o governo. Contudo, em troca, eles recebem uma certa rentabilidade sobre esses valores.

A emissão de Títulos Públicos pelo Tesouro Nacional é uma das maneiras usadas para a arrecadação de dinheiro. Esse valor serve para financiar atividades do governo federal. Por exemplo educação, saúde, segurança e infraestrutura. Além disso, os títulos públicos se tornaram uma opção de investimento para a sociedade. Juntos eles representam a dívida mobiliária da União.

Títulos Públicos do Tesouro Direto
Os Títulos Públicos do Tesouro Direto são uma opção de investimento para a sociedade e representam a dívida mobiliária da União.

Tornar-se um investidor não é tão complicado quanto você pensa. Ou seja, não precisa de uma quantia de dinheiro exorbitante, como as pessoas acham. Aprenda aqui o passo-a-passo numa linguagem bem descomplicada nessa matéria que preparamos para você.

Renda Fixa

Como investidor, saber sob quais condições seu investimento será remunerado, é, além de importante, muito bom. Entretanto as pessoas confundem isso com o fato de que deveriam saber, necessariamente, a sua rentabilidade final. São coisas totalmente diferentes!

O investidor sabe, por exemplo, que o seu rendimento é dado pela taxa SELIC. Contudo ele não sabe se essa mesma taxa SELIC será de 9% a.a. ou 11% a.a. durante todo o período em que está sendo feito o investimento.

Em um outro exemplo, dado pelo próprio site do Tesouro Nacional, facilita bem a compreensão. É o seguinte: “Suponha que você compre uma unidade do título Tesouro Prefixado 2016 (LTN) em 26/06/2012, a uma taxa de juros de 9,15% a.a. O preço que garante a rentabilidade de 9,15% ao ano durante o período de 26/06/12 a 01/01/16 é de R$ 735,29.”

“Isso porque, a incidência da taxa de juros de 9,15% a.a. sobre R$ 735,29, durante 905 dias, resultará no montante de R$ 1.000,00 no vencimento da aplicação, valor final predeterminado para cada unidade desse tipo de título. Dessa forma, se os juros aumentarem, o preço inicial de partida do título terá que ser menor, de forma que se chegue no mesmo montante final de R$ 1.000,00 ao final da aplicação.”

Facilitar a compreensão do título público do Tesouro Direto
O preço do título público possui relação inversa com a taxa de juros.

Vamos dar um passo mais profundo em alguns entendimentos, sobre alguns subtemas que já falamos aqui no nosso site. Todavia, nessa matéria anterior, havíamos feito as explicações de forma mais superficial.

Variação do Juros Afetam os Títulos Públicos do Tesouro Direto

Os Títulos Públicos do Tesouro Direto são atualizado de acordo com o valor que ele é negociado no mercado secundário naquele momento, procedimento conhecido como marcação a mercado. Portanto, o preço de mercado e o saldo do investidor são diretamente proporcionais.

Funciona do mesmo jeito nos fundos de investimento. Eles fazem a marcação a mercado de seus ativos, tomando como padrão a recomendação da Comissão de Valores Mobiliários (CVM). CMV é o órgão que regula o mercado dos valores mobiliários.

Prazos de Vencimento versus Preços dos Títulos

O preço do título é o valor presente do fluxo descontado a uma taxa. Para títulos semelhantes, quanto menor for o prazo até o vencimento, menos o preço (valor presente do fluxo) varia quando há alteração nas taxas de juros. Portanto, aplicada uma certa alteração na taxa de juros, o título com menor tempo até o vencimento tem variações no valor de forma menos significativa.

No gráfico, quando o juros (azul) da economia nacional cai, o valor dos títulos sobe. Entretanto o preço do Tesouro Prefixado 2014 (amarelo) sobe menos que o preço do Tesouro Prefixado 2018 (verde):

Facilitar a visualização das variações
O preço do Tesouro Prefixado 2014 (amarelo) sobe menos que o preço do Tesouro Prefixado 2018 (verde).

Crítica Analítica

Os papéis com vencimento breve têm mais segurança nos preço, mas têm maior risco de reinvestimento. Que é o risco de você não conseguir aplicar novamente nesse título, sob as mesmas taxas existentes quando da aplicação anterior. Por exemplo, vamos supor que haja dois títulos. O primeiro a 1 ano do seu vencimento e o segundo a 2 anos. Mas ambos com a mesma rentabilidade anual.

Se você escolhesse comprar o título com 1 ano e, na data do vencimento, comprasse outro de 1 ano, ao invés de adquirir o título de 2 anos, poderia não encontrar, no segundo ano, esse título de 1 ano com as mesmas taxas que existiam na primeira compra. Isso é o que se chama de trade-off! É que o investidor deve se responsabilizar. Fazer a sua estratégia entre volatilidade versus o risco de reinvestimento.

Títulos Públicos do Tesouro Direto

É impossível precisar se vai haver perda ou ganho financeiro no caso de antecipação da venda, pois isso vai depender de todas as condições de mercado na data exata da venda.

Conforme explicamos, se você permanecer com o título até o vencimento, vai receber o valor correspondente à rentabilidade acordada no dia da compra. Isso não dependente das oscilações do valor do título ao longo da aplicação.

Acompanhe o valor dos títulos praticados no mercado consultando a lista de títulos disponíveis para vendas e suas taxas e preços, no site oficial do Tesouro Nacional.