Títulos Prefixados do Tesouro Direto – Como Investir

Como funcionam, no Tesouro Direto, os títulos prefixados? Em primeiro lugar vamos definir o que é um título prefixado. Os títulos públicos são divididos em duas categorias: Os Prefixados e os Pós-fixados. Nesse artigo vamos falar sobre os prefixados. Você vai poder compreender as vantagens desse tipo de aplicação.

Os benefícios serão explicados com base nas informações formais do Tesouro Nacional. Ao final disponibilizaremos os sites oficiais do governo, onde você poderá, com um clique, se certificar da credibilidade do conteúdo 100% informativo que trouxemos para facilitar sua vida como investidor.

Explicar sobre os títulos públicos prefixados
Os Títulos Prefixados vêm se destacando cada vez mais entre os investimentos em renda fixa.

Caso você ainda não esteja familiarizado com o termo Títulos Públicos do Tesouro Direto, vale a pena conferir a matéria anterior. Ela vai te preparar para entender melhor o que vamos explicar nesse artigo logo abaixo.

Títulos Prefixados do Tesouro Direto

Em suma, Títulos Prefixados possuem rentabilidade definida no momento da aplicação. Isso significa que você já sabe exatamente o valor que vai receber se mantiver o seu investimento até a data de vencimento do título.

Existem dois tipos de Títulos Prefixados:

  1. Tesouro Prefixado, também conhecido como LTN;
  2. Tesouro Prefixado com Juros Semestrais ou NTN-F

Rentabilidade do Tesouro Prefixado

A rentabilidade desse título é dada pela diferença entre seu preço no momento da aplicação e o seu preço na data do vencimento. Esse preço é sempre igual a R$ 1.000,00 por cada unidade de título. Além disso, o título possui fluxo de recebimento simples. Ou seja, você faz a aplicação e recebe o valor investido somado a rentabilidade somente na data de vencimento.

No entanto, caso queira, você poderá resgatar antecipadamente os recursos aplicados nesse título. Claro, vendendo-o para o tesouro nacional, que, certamente, garante sua recompra todos os dias. É importante ressaltar que no momento do resgate antecipado, esse título será recomprado pelo seu valor de mercado. Contudo, ele poderá ser maior ou menor do que o que você pagou por ele.

Isso ocorre porque os preços sofrem variações ao longo do tempo devido a alguns fatores. Entre eles estão, por exemplo, o nível de procura, a variação na taxa de juros da economia, entre outros.

Rentabilidade Líquida dos Títulos Prefixados

Para se chegar a rentabilidade líquida desse tipo de investimento, é preciso deduzir da rentabilidade bruta a taxa de administração (cobrada pela sua Instituição Financeira), a taxa de custódia (cobrada pela BM&F Bovespa – B3) e o Imposto de Renda, que, nesse caso, se dá no vencimento do título ou no momento do seu resgate antecipado.

O Imposto de Renda segue alíquotas regressivas. Ou seja, se você mantiver o seu investimento por, no mínimo, 2 anos, a alíquota devida de IR será a menor possível. Isto é, de 15% sobre sua rentabilidade.

Sugestões, Orientações e Indicações

Devido a suas características, o Tesouro Prefixado (LTN) é indicado para quem tem objetivo financeiro a ser alcançado, ou no médio ou no longo prazo. Como, por exemplo, a compra de um carro ou a realização de uma viagem. Também é para quem prioriza saber, de antemão, o quanto irá receber no vencimento da aplicação.

Portanto é também para quem pode aguardar até o vencimento do título para receber o valor investido, acrescido da rentabilidade que foi contratada no momento da aplicação. Além disso, também é indicado para quem aposta numa queda da taxa de juros básico da economia (Selic).

Pois bem, nesse caso, a sua rentabilidade será assegurada em um patamar superior a rentabilidade oferecida por outros investimentos do mercado. Isso acontece porque esses outros investimentos tenderão a acompanhar a trajetória declinante da taxa Selic.

Tesouro Prefixado com Juros Semestrais (NTN-F)

A diferença desse título em relação ao anterior é que ele paga juros semestrais. Ou seja, os seus rendimentos são creditados na sua conta a cada seis meses, durante o período do investimento. Na data de vencimento do título, você também receberá R$ 1.000,00 por cada unidade de título. Além disso, receberá também a última parcela de juros semestrais.

Essa estratégia é indicada para quem deseja obter um fluxo de rendimentos periódico, para fazer frente as suas necessidades financeiras. Isso porque, a cada recebimento desses rendimentos, há o desconto do Imposto de Renda. Lembre que nessa forma ele também respeita as alíquotas regressivas.

Sugestão e Orientação

Assim, se você não precisa desses retornos ao londo da aplicação, é recomendável que você opte por títulos que pagam toda a sua rentabilidade somente no vencimento. Postergando, portanto, o desconto do Imposto de Renda.

Além disso, permitindo que seu dinheiro permaneça integralmente aplicado, rendendo juros sobre juros de forma a gerar retorno ao final da aplicação. Fique ligado! Acompanhe as novidade do Tesouro Direto sobre Títulos Prefixados.