Descubra o que é preciso para se inscrever no Telefone Popular

O governo federal criou em 2011 a campanha do telefone popular. A proposta foi incentivar a aquisição de telefone fixo para inscritos no Cadastro Único dos Programas Sociais. E o resultado foi que auxiliou muitas famílias na busca por um orçamento mais equilibrado.

Se você não conhece o programa, saiba que ele pode beneficiar diversas famílias no país que precisam do acesso ao telefone, mas não podem custear os altos valores que as companhias cobram. Leia atentamente para saber se você tem direito ao benefício.

Entenda sobre o telefone popular

Em junho de 2012 o benefício do telefone popular era acessível somente a famílias que possuíam renda de, no máximo, um salário mínimo (R$ 998). E a partir do mesmo mês de 2013, foi ampliado para quem tinha renda de até 2 salários.

No outro ano, passaram a serem atendidos todos os presentes dentro do cadastro, sem que o rendimento mensal fosse levado em consideração.

O telefone popular também recebe o nome de Acesso Individual Classe Especial (Aice), opera da mesma forma que o fixo convencional, proporcionando a vantagem de uma assinatura abreviada e simplicidade de pagamento do preço da habilitação, e ainda, pode ser parcelado.

Este projeto garante ao usuário uma franquia de 90 minutos por mês, que permite fazer ligações locais a outros fixo.

Esse plano também ajuda muito no controle de gastos, pois caso seja preciso fazer chamadas além do limite ou para celulares, longa distância, sendo nacional e internacional é possível inserir créditos.

O preço máximo a ser pago é de R$ 15 mensais e a conta referente ao que foi gasto naquele mês é enviada para a casa do responsável pela linha.

Como conseguir participar do programa

O primeiro passo para adquirir o telefone é conferir se todas as informações registradas no Cadastro Único estejam atuais, por no mínimo 2 anos, principalmente especificando a renda e o endereço da residência da família.

Na sequência, aquele for o responsável familiar precisa procurar a concessionária responsável por aquela região munido do CPF e do Número de Identificação Social (NIS).

Se por ventura não tiver registrado o CPF no Cadastro Único é preciso que informe, além disso, o Título de Eleitor ou o Registro Administrativo de Nascimento Indígena (RANI) para que possa ser realizado o atendimento.

A inserção do programa será submetido a um cronograma que é constituído por algumas fases tendo um prazo limite de até 7 dias.

Fale direto com as empresas

A oferta deste telefone é realizada somente por algumas concessionárias que prestam telefonia fixa: Oi / Brasil Telecom, Oi / Telemar, CTBC Telecom, Telefônica/VIVO e Sercomtel.

As outras empresas autorizadas de telefonia fixa não possuem obrigação alguma de também prestar este serviço.

Se você não sabe qual a concessionária que abrange o plano na sua região ou queria tirar dúvida com elas, estes são os números:

  • Oi / Brasil Telecom -10314
  • Oi / Telemar – 10331
  • CTBC Telecom -10312
  • Telefônica/VIVO – 10315
  • Sercomtel – 10343

Para outras dúvidas

Caso alguém tiver interesse em mais informações ou estiver com dúvidas a Anatel oferece uma cartilha sobre o assunto. Clique no link para obter mais informações.

Se ainda estiver com dúvidas é aconselhável entrar em contato com a Agência Nacional de Telecomunicações (Anatel), no site ou pelo telefone 1331 ou 1332.