Remake de Resident Evil 2 é novidade no mundo dos games

O primeiro jogo da franquia foi considerado um verdadeiro sucesso. Em 1998, Resident Evil 2, veio como a continuação direta do game e acabou sem decepcionar. O novo título garantiu um lugar no coração e na memória dos jogadores da época.

Neste novo lançamento, é inevitável que os veteranos não fiquem preocupados com quais mudanças foram feitas. Fato é que mesmo quem já está acostumado com o estilo e também novatos vão conseguir apreciar o que as tecnologias mais novas puderam proporcionar a esse clássico.

Alterações?

Recentemente várias alterações foram divulgadas e mostradas. Foi feita a demo 1-Shot, onde os jogadores experimentaram as novidades no quesito jogabilidade e tiveram um gostinho dos extras que surgiram num lugar bem clássico do jogo: a delegacia de Raccoon City.

Outras surpresas estão na história. Elas passeiam por áreas, personagens, itens, armas e inimigos, prometendo uma experiência nova até mesmo aos saudosistas. Vamos conferir o que já foi confirmado pela Capcom e pelos desenvolvedores?

Quem é jogador dos anos 90 e teve a chance de jogar Resident Evil na época, com certeza já conhece a história de cor e salteado. Vale destacar que no remake, a maior parte dos eventos vão continuar bem parecidos com o jogo original, mas existem algumas mudanças pontuais no enredo sim.

Personagens

Elas começam pelo próprio desenvolvimento dos personagens. Por exemplo, tem diferença na garota Sherry Birkin, que tem um papel muito importante na trama.

O diretor do jogo, Kazunori Kadoi, afirma que antes (no primeiro jogo) Sherry tinha apenas as características de uma criança daquela idade e nada que realmente desse uma personalidade a ela.

Já no remake, a menina demonstra efeitos de uma criação distante do casal de cientistas Birkin e também dos traumas causados pelo terror que ela vive em Raccoon City.

Kadoi fala que uma das inspirações para criar o novo “jeito” de Sherry foi Newt, do filme “Aliens, o Resgate”. Legal, né?

Novos personagens aparecem no jogo também

Segundo Kadoi, “Resident Evil” foi inovador ao transmitir uma narrativa complexa de terror nos anos 90.

O problema é que surgiram várias dificuldades por conta da falta de tecnologia da época (e ainda de orçamento) que impediram algumas vontades dos criadores.

Por isso, em 2019, foi bem possível melhorar a obra, já que existem recursos mais acessíveis e mais avançados.

Novas áreas  

Tem lugares novos no mapa! Lugares que não estavam presentes no jogo original. No Twitter, a Capcom acabou revelando: o Orfanato.

O produtor do jogo, Ysuyoshi Kanda, deu uma entrevista a Game Informer e revelou que junto com as áreas novas também terá um detalhamento maior em lugares que foram pouco explorados no primeiro jogo.

Um outro exemplo (e engraçado), é que agora existem banheiros na delegacia. Isso até acabou virando meme na comunidade virtual.

Jogabilidade

Claramente a maior diferença será na hora de jogar. Muitos elementos do jogo foram utilizados, mas agora recebem uma repaginada. Câmera e mecânicas de tiro merecem a atenção agora.

Na década de 90, os controles deixavam um pouco a desejar, ainda pelo lado técnico da coisa. Por conta da questão gráfica, os desenvolvedores optaram por uma câmera estática e com pouca liberdade de movimentação. Desta vez não, teve melhoria significativa.

A câmera agora segue o padrão para jogos em terceira pessoa e os movimentos estão bem melhores.

Com esse tipo de liberdade para a visão, elementos bem legais já foram vistos na demo. Tem hora que Leon precisa usar uma lanterna na delegacia por causa da iluminação precária do local. É o terror mais tenso ainda!

Para dar mais medo ainda, foi a vez dos zumbis receberam modificações. A quantidade diminuiu e a intenção passou a ser usá-los para causar mais terror em horas específicas.

Ah! Eles conseguem quebrar portas – não dá mais para se esconder em outra sala para recarregar a arma ou recuperar vida.

Salvamento automático…

Agora, o que todo mundo sempre pede nos jogos: salvamento automático!! No jogo original era necessário pegar fitas de tinta para usar as máquinas de escrever – lembra que precisava delas para salvar até onde você parou

-. Elas ainda vão estar presentes, mas sem aquele impacto do original.

O que mais podemos dizer? Que os chefes do jogo terão comportamentos diferentes, puzzles novos aparecerão e muito mais! Quem busca uma experiência nova, mas sem perder aquele carinho pelo clássico está muito bem-servido pela Capcom!