Facebook coleta seus dados ainda que você esteja fora da rede social

A entidade britânica Privacy Internacional fez um estudo que comprovou que o Facebook consegue coletar dados dos usuários da plataforma mesmo quando eles não estão conectados nessa rede social.

Isso é possível através do uso de outros aplicativos que enviam informações ao Facebook, mesmo que você não esteja conectado a essa conta. A organização fez testes com 34 aplicativos baixados em Android para comprovar o fato.

Entre os apps baixados que disseminam a informação ao Facebook estão: Spotify, TripAdvisor, Kaiak, My Talking, entre outros, que são bastante populares em todo o mundo, inclusive, no Brasil.

Informação sem conhecimento do usuário

O grande questionamento do relatório é saber como e por que o Facebook coleta essas informações sem que o usuário saiba disso. Além do mais, o estudo levou em conta Android porque é do Google e muitos apps tem parceria com essa rede.

A prova está no fato de que nem sempre os usuários de serviços sabem que os dados estão sendo mandados ao Facebook, isto é, acontecem sem a prévia autorização. E os dados são compartilhados de forma silenciosa.

A explicação para que isso aconteça é a seguinte: – ao usar o kit de apps, os criadores conseguem enviar para o Facebook um identificador único. Esse é um código que os anunciantes tem para seguir você por toda internet.

Experiência própria da Privacy

A própria Privacy Internacional é um exemplo desse compartilhamento de informações, idênticas aos do Facebook. Por exemplo, ao baixar o app Qibla Connect (de orações muçulmanas), o usuário tem os dados repassados ao Privacy.

E o mesmo acontece com outros aplicativos de celulares, como o Indeed (para encontrar empregos), e o My Talking Tom (para crianças). Obviamente, ao baixar os 3 apps, a organização sabe que se trata de mulher muçulmana a procura de emprego e mãe.

É mais ou menos isso que as informações compartilhadas sem conhecimento do usuário ao Facebook geram. A ideia é a de encontrar os interesses dos usuários para dar a eles mais notícias que são de interesse dele.

Outro exemplo é na hora de comprar passagens aéreas. Dá para saber se a família tem criança, para onde vai, de onde parte, quais aeroportos vai frequentar, datas e assim por diante. Pode não parecer, mas essas informações são muito valiosas.

Falta de privacidade em discussão

O estudo foi feito no Reino Unido e, por isso, tudo ainda está sendo comentado e discutido oficialmente por lá. O que é preciso entender é que a Privacy considera que é um forte indício de que o compartilhamento de dados está irregular.

Inclusive, contra o Regulamento Geral de Privacidade de Dados – RGPD.

Em contrapartida, algumas empresas já começaram a desenvolver suas defesas, como o Google, que diz que “a transmissão de dados entre apps e o Facebook via kit de desenvolvimento é resultado de um arranjo de compartilhamento”.

Já o My Talking Tom afirma que “está ciente de que há um problema e está em busca de soluções para garantir a privacidade dos dados”.