Youtubers Infantis – até que ponto vale a pena expor crianças na internet?

Desde as décadas de 80 e 90 as crianças tornaram-se comuns nos holofotes da fama. Com a internet, houve uma superexposição da vida de celebridade.

Agora existem youtubers infantis e a situação vai além disso: tem gente que expõe demais a vida dos filhos nas redes sociais. Muitos nem sequer imaginam o quanto os pais já divulgaram sobre sua vida.

O Ministério Público de São Paulo já se pronunciou e agora youtubers infantis estão na mira da equipe, podendo ter seus vídeos retirados do ar. Simultaneamente, crianças são feitas de “celebridades mirins” no Instagram.

As celebridades infantis

Uma das maiores é Enrico Bacchi, com menos de um ano e meio de vida.

Ele já tem a marca de 1,8 milhão de pessoas curtindo suas fotos no Instagram. O perfil foi criado pela mãe, a atriz Karina Bacchi, e tem mais seguidores do que celebridades com anos de carreira.

Por exemplo, Isabeli Fontana tem 1,2 milhão de followers e o ator Jesuíta Barbosa, 331 mil.

Enrico é só um exemplo. Como ele, diversos adolescentes e crianças têm as rotinas acompanhadas pelos internautas.

Mas, você já parou para pensar: até que ponto vale a pena expor os menores de idade no ambiente online?

As consequências da exposição

Podem existir consequências no futuro dos pequenos.

Para Deborah Moss, neuropsicóloga, a internet precisa ser usada com moderação. É que os pais de hoje tiveram pouco contato com a internet quando eram mais novos e, agora é que aprendem o que devem ou não mostrar sobre os filhos.

Para Debora, que também é mestre em psicologia do desenvolvimento humano e especialista em comportamento infantil, os pais são turistas no mundo virtual.

“Como os filhos não têm como se defender, os pais devem se perguntar: quando eles crescerem, vão gostar disso?”.

Resumindo, todo cuidado é pouco.

As crianças podem virar um meme e isso pode marcá-las para o resto da vida.

Além de serem postas em situações de risco maior ainda. Por exemplo, deixar escapar uma foto com o uniforme da escola mostra qual é a rotina da criança e pode abrir precedentes para sequestro.

E o futuro?

É impossível saber como será o futuro das crianças que hoje fazem fama nas redes sociais, como o caso do Enrico. Ele pode seguir carreira artística e isso pode ajudá-lo em algum momento…

Masm a fama precisa vir acompanhada de precaução.

“A exposição exacerbada pode gerar atrito na relação familiar posteriormente. Além disso, uma vez que a criança está exposta na mídia, precisa dar conta da pressão que isso acarreta. Ela não tem maturidade para lidar com expectativas, críticas, agressões”, afirma Deborah.

O recado para os pais é para que pensem sobre o motivo de compartilhar aquilo dos filhos. A intenção é só divulgar ou tem uma função de preencher alguma frustração própria?

“Na vida real, assim como naqueles programas em que se veem familiares de crianças em concursos de beleza dos Estados Unidos, existem responsáveis frustrados, que jogam a expectativa do que não conseguiram realizar para os filhos. Então é necessário analisar o porquê de tanto compartilhamento”, pontua.