Elevador inteligente, que organiza o fluxo, você conhece?

Um dos itens mais importantes no nosso dia é o elevador, mas muitas vezes não damos o seu devido valor, apenas quando ele não funciona e então temos que recorrer para as escadas. Não é mesmo?

Normalmente, um elevador é acionado e com os passageiros dentro vai parando de andar em andar, de acordo com outras pessoas que o chamam.

Porém, nos últimos tempos, os centros comerciais brasileiros estão se renovando e até mesmo os elevadores estão sendo desenvolvidos com uma inteligência a mais, que busca distribuir os passageiros com uma forma mais lógica.

Elevador inteligente?

Para essa função, encontramos atualmente elevadores que não contam com os botões do lado de dentro, mas sim na porta por fora.

Isso faz com que as pessoas tenham que avisar o local que deseja ir antes de embarcar e, com isso, o sistema de inteligência possa traçar a melhor rota para o elevador.

Essa atividade é fundamental e faz muita diferença principalmente nos prédios grandes, aumentando a agilidade de uma forma dinâmica do transporte entre os andares com a inteligência artificial e com isso poupando o tempo das viagens.

A explicação!

O diretor de engenharia da Thyssenkrupp, Reinaldo Paixão, ressaltou que quando o passageiro informa o seu destino, o sistema já interpreta a posição do chamado para que o elevador atenda em um tempo menor.

Com isso, se a pessoa pretende ir até o décimo quinto andar do prédio, mas está no térreo, outras pessoas também devem pedir para subir, porém, em andares diferentes, como o 14º e o 16º.

Ciente deste fato, o sistema inteligente do elevador vai reunir as três pessoas que vão até andares próximos em um único elevador e irá passar direto pelos 13 primeiros andares.

Isso ao mesmo tempo em que o outro elevador faz o trajeto oposto para servir os demais passageiros, que queiram ir nos andares inferiores, por exemplo, o que poupará bem mais tempo.

Concentração de informações

Ainda segundo o diretor de engenharia da Thyssenkrupp, o sistema possui todas as informações básicas de concentração, assim ele consegue traçar o melhor trajeto ao destino, com cada sistema operando de uma maneira particular no prédio.

Nos horários de maior movimentação, os andares mais movimentados alteram o comportamento dos elevadores, que funcionam com uma parada reduzida em cada andar, seja na descida ou subida.

Resolução de problemas

Fernando Madani explicou que antigamente com um número maior de botões para acionar, os passageiros muitas vezes entravam dentro do elevador e esqueciam de apertar os mesmos.

Aí, se alguém apertasse chamando, você acaba indo até o local para somente depois ir ao seu andar.

Outra situação que era frequente era quando você estava no 3º andar e queria ir ao 2º, mas quando o elevador abre e a pessoa entra dentro, ele sobe, retardando ainda mais a viagem.

Como os novos sistemas de inteligência artificial, todas essas situações que com toda certeza muitas pessoas já passaram em um elevador e que são, no mínimo, chatas podem ser evitadas, poupando tempo e até mesmo um certo estresse em dias de maiores turbulências.