Descubra 5 alimentos proibidos na Europa, mas usados nos EUA

A União Europeia faz um controle rigoroso sobre qualquer substância que apresente riscos à saúde das pessoas e dos animais.

É o caso de diversos aditivos alimentares, que foram relacionados ao câncer; de vários fármacos utilizados na criação de animais; e até de alimentos geneticamente modificados, que têm o seu cultivo e importação barrados em países da Europa.

No entanto, muitos desses aditivos, fármacos e alimentos transgênicos continuam sendo comercializados normalmente nos Estados Unidos. Chegando à necessidade de empresas de processamento de alimentos dos EUA precisarem reformular seus produtos alimentícios para venda no velho continente.

Lei de Aditivos ligados ao câncer

Em 1958, a Lei de Alimentos, Drogas e Cosméticos recebeu uma emenda, conhecida como Emenda Delaney, que proíbe a Administração de Alimentos e Drogas (FDA, na sigla em inglês) de aprovar aditivos ligados ao câncer.

Mas, segundo um porta voz da agência, muitas substâncias que já estavam em uso antes da aprovação da Emenda Delaney tinham aprovação prévia, e, por isso, não são reguladas como aditivos alimentares.

Abaixo, trouxemos uma pequena lista desses e de outros aditivos alimentares que são comercializados nos EUA, mas que têm a venda proibida pela União Europeia.

1 – Bromato de Potássio e azodicarbonamida

O bromato de potássio é um aditivo adicionado à farinha usada em pães, bolos, doces e pizzas para fazer a massa crescer e ter uma cor esbranquiçada.

Mas, mesmo a Agência Internacional de Pesquisa do Câncer o considerando um possível cancerígeno humano, ele continua sendo usado nos EUA. Na Europa é expressamente proíbido.

O mesmo acontece com a azodicarbonamida, que é um agente clareador de farinhas e condicionador de massas. Durante o seu cozimento, ela se subdivide em vários produtos químicos que causam câncer em animais de laboratório

2 – BHA e BHT

O BHA e o BHT são realçadores de sabor e conservantes utilizados em uma grande variedade de alimentos. E, enquanto na Europa eles estão sujeitos a restrições severas, são amplamente usados em produtos alimentícios americanos.

As evidências sobre os malefícios do BHT são mistas, mas um relatório do governo dos EUA aponta o BHA como uma substância “razoavelmente provável” que seja um cancerígeno humano.

3 – Óleo Vegetal Bromado (BVO)

Usado em refrigerantes de sabor cítrico e em bebidas esportivas para evitar a separação de ingredientes, o BVO é expressamente proibido na Europa, mas usado normalmente nos EUA.

A FDA alega que seu uso é seguro em quantidades limitadas e que tomará medidas caso novos estudos de segurança levantem questões sobre o BVO.

4 – Corantes amarelos número n° 5 e n° 6, e vermelho n° 40

Na Europa, esses corantes podem ser usados, mas existe a exigência de que os produtos tenham um aviso informando aos consumidores que os agentes de coloração podem causar um efeito adverso sobre a atividade e atenção em crianças.

Nos EUA, esse aviso não é necessário, embora o Centro de Ciência de Interesse Público tenha pedido a FDA que proibisse os corantes.

5 – Drogas na pecuária

O hormônio do crescimento bovino, explorado pela indústria de laticínios americana para aumentar a produção de leite; e a ractopamina, amplamente usada nos EUA para aumentar o peso de suínos, ovinos e perus antes do abate são algumas das drogas pecuárias usadas nos Estados Unidos, mas proibidas pela União Europeia, que alega que “os riscos à saúde humana não podem ser descartados”.