De quem é a culpa dos juros serem tão altos?

O tema “Juros Altos” é uma discussão muito importante para toda a população brasileira, principalmente pelos altos valores que são cobrados pelas agências bancárias.

Publicamente, visões sobre o assunto foram apresentadas pela Febraban, mídia e o governo. E a discussão avança a cada dia mais.

Para melhorar a cidadania financeira, o Banco Central vem trabalhando no tema, e lançou uma Agenda BC+, onde um dos temas é a diminuição dos juros no Brasil, já que o governo tem essa dificuldade por uma questão de interesses contrários.

A nova agenda

Com essa nova agenda, toda a sociedade foi convidada para um debate pelo regulador, que tornou muitas médicas públicas, fato necessário para a diminuição dos juros.

Com a repercussão, a Febraban se manifestou publicamente.

Um livro que deu o que falar foi o “como fazer os juros serem mais baixos no Brasil”.

Porém, sabemos que ele ainda segue bem distante de esclarecer de fato a nossa população as reais responsabilidades sobre os juros alto e sua concentração.

Mais ações

A Febraban ainda falou em 21 ações que seriam necessárias para que realmente tivesse uma queda nos juros.

Só que de todas citadas, apenas uma é de real responsabilidade dos bancos, que teimam em colocar a culpa no governo e na sociedade.

No livro, um dos argumentos destacados é que os setores de capitalização, seguros gerais e previdência e vida estão faturando mais que os bancos.

E esses produtos são ofertados por empresas que são justamente controlados por bancos e assim são comercializados com os clientes.

Dessa forma, a atuação dos bancos é como um conglomerado, onde se tem muitos produtos, mas o lucro final deveria ser avaliado em um debate mais completo.

Os dados

Um dado interessante e importante é que no nosso país, o retorno sobre patrimônio, o ROE, fica em uma faixa de 19%, algo que é muito lucrativo.

Outro ponto que o livro da Febraban abordou foi o cadastro positivo, atividade que o Brasil tenta implementar há mais de 15 anos.

Esse cadastro consiste em um mecanismo eficiente que identifique os bons pagadores, para que assim eles possam ter uma facilidade no momento de obter crédito na praça.

Porém, essa atividade sempre teve muitos obstáculos que atrapalharam o projeto.

Uma das questões que frearam o projeto foi a pretensão de alguns bancos, que queriam que os consumidores que fossem beneficiados do crédito positivo reconhecessem em firma a sua assinatura, algo completamente desnecessário.

Porém, para que não tenham mais adiamentos, a Febraban começa a querer assumir o compromisso de apoiar de fato a medida, com os bancos criando os seus próprios sistemas em conjunto com esse crédito positivo, que deverá ser aberto em todo o mercado.

O foco: juros menores!

Dentre essas atividades e algumas outras, a busca para se ter juros menores no país segue e as autoridades brasileiras deveriam ter mais atenção.

Mesmo porque as tentativas de aquisições por conglomerados bancários é o que faz a competição entre eles.

O debate é algo muito importante em muitos assuntos e a questão juros altos não fica fora disso.

Medidas devem sempre serem discutidas, e soluções encontradas e busca da melhoria da sociedade.

Add Comment