Consumo de chocolates na Páscoa cresce entre os brasileiros, diz pesquisa

A Páscoa está quase chegando e algumas gôndolas dos supermercados já contam com ovos de chocolate e caixinhas de bombons sortidos. Mas como será que vai ficar esse comércio nesse ano?

Sabe-se que o consumo de chocolate no período cresceu. Segundo pesquisa da Kantar Worldpanel, 67,4% das casas comemoraram a data em 2018 com os deliciosos produtos, sendo que em 2017, o índice foi de 62,8%.

Ou seja, a Páscoa do ano passado trouxe novas oportunidades ao mercado, mostrando uma recuperação no consumo de chocolates e ovos, atraindo novos compradores. Mais de 37 milhões de lares compraram os chocolates entre março e abril do ano passado.

Os números e os destaques

Os números são bons, mas a retratação não chega perto de 2014, quando o comércio se destacou bastante.

Agora, o crescimento se deu principalmente pelo consumo de chocolates normais (barras, tabletes e caixas).

Eles conquistaram mais de 3,2 milhões na Páscoa. Os ovos foram responsáveis por mais de 840 mil. Os dados mostram que o consumo se manteve relativamente estável, mas ainda muito abaixo dos anos anteriores como em 2014.

É que para tentar manter a tradição dos ovos em casa, as famílias optam por escolhas mais racionais, buscando caminhos diferentes.

Tradição!?

“A compra de chocolates no período já é uma tradição entre os brasileiros. Independentemente do formato da guloseima, ela marca presença de uma forma ou de outra nos lares”.

“Uma das saídas encontradas pelos consumidores é mixar chocolates e ovos para manter o consumo, já que, por exemplo, o preço médio por quilo da caixa de bombom é de R$ 26,30 versus R$ 122,60 do preço médio por quilo do ovo”.

A comparação e análise é da analisa Giovanna Fischer, Diretora de Marketing e Consumer Insights da Kantar Worldpanel.

Mudança de comportamento

A pesquisa mostrou que a mudança de comportamento foi sentida em diversas variáveis.

Nos formatos de chocolates consumidos e também nos pontos de venda.

Por exemplo, um dos carro-chefe foi a caixa de bombons, com diferentes especialidades de determinada marca.

Ela contribuiu sozinha com 21% do crescimento dos 31% na Páscoa do ano passado.

Ainda em 2018, também contribuíram de forma positiva os snacks e a cobertura (com 2%) e os tabletes regulares (3%).

Os presentes para os entes queridos, para os amigos, também se destacam, sendo responsáveis por 23% deste crescimento.

Expectativa para 2019

Para 2019, percebe-se uma mudança de comportamento. Agora a internet promete bombar as vendas de ovos de chocolate também.

Essa disponibilidade para comprar via online tem a ver com o amadurecimento da relação dos usuários brasileiros com o e-commerce.

Eles estão cada vez mais atraídos pela facilidade e também pelas promoções que várias lojas realizam em sites.

Em um passado não tão distante assim, os itens mais procurados na internet eram aqueles que não exigiam urgência, como livros.

Agora o brasileiro é seguro para comprar online e, por isso, pode abusar desse tipo de venda na Páscoa de 2019.

Em contrapartida, as lojas virtuais precisam fazer bonito e entregar o produto em ótima qualidade.

Diferente de livros, os chocolates derretem, quebram e são passíveis de sofrerem mais danos.

É aí que entra a credibilidade da empresa e a necessidade de garantir uma excelente logística na hora da entrega.