Consumo de bebidas ácidas pode prejudicar os dentes – saiba como prevenir

O que tem no verão além da praia, água de coco e sol quente? Temos também temperaturas cada vez mais altas. Com isso, não resistimos às bebidas refrescantes, onde na maioria das vezes são sucos cítricos e bebidas acidas!

Agora, a notícia ruim é que o ácido presente nelas pode ser muito prejudicial para a nossa saúde bucal. Sabia disso? Então, vamos entender o que pode ser feito para prevenir esses problemas com os dentes e como tudo acontece.

O que pode acontecer?

Se as bebidas ácidas forem consumidas com uma frequência grande pode ocasionar na erosão dentária, um desgaste que acontece lentamente, mas que é progressivo e irreversível na camada mais externa do nosso dente (esmalte).

Isso acontece quando o pH, que é responsável por medir o nível da acidez, indica um valor elevado na medição. Os refrigerantes à base de cola chegam ao número 2,5, que é considerado o mais alto.

O nível 7 é o neutro.

Por exemplo, as bebidas esportivas tem um pH de 2,95, já os sucos com frutas cítricas chegam a 3,5. As bebidas alcoólicas, como por exemplo, o vinho, marca de 3,3 a 3,7. Já a cerveja, varia de 3,7 a 4,1 pH.

Beba com moderação

A professora doutora em Odontologia Restauradora, Lia Alves Schinetski, falou sobre o fato das bebidas ácidas serem prejudicial para a saúde bucal, já que ela amolece o esmalte do nosso dente e é esse o fato da erosão dental.

Segundo a especialista, o consumo dessas bebidas não pode ser muito frequente, já que os estudos apontam que quanto maior for o consumo, maior será a erosão e o desgaste.

Schinetski ainda alerta que devemos esperar 30 minutos para escovar os dentes após o consumo dessas bebidas ácidas, pois se fizer antes, remove o esmalte que já estará amolecido e o desgaste dentário será ainda maior.

A professora ainda falou sobre o processo de desmineralização, onde segundo ela, o pH na boca diminui e então o dente perde minerais, e pensando a médio e longo prazo, isso acaba na perda total do esmalte dentário.

Quando mantemos esse prazo de 30 minutos para a escovação, ocorre a remineralização do dente, gerado pela saliva. O que também pode ajudar a minimizar todo esse impacto negativo é a atividade de fazer bochechos com flúor.

O tratamento

Membro da Câmara Técnica de Odontopediatria do Conselho Regional de Odontologia de São Paulo, Sandra Kalil, explicou sobre a erosão dentária.

Ela afirmou que a reabilitação é bem complicada, pois conforme ocorre o desgaste do esmalte, vai ficando exposta a dentina, o que causa uma maior sensibilidade dentária e também alteração em sua cor.

Sendo assim, o tratamento fica complicado e requer acompanhamento constante de um especialista. Segundo Schinetski, a perda do esmalte ocasiona em outros problemas também, sendo lesões na região da gengiva e cáries.

A especialista ainda explica que o local onde fica o esmalte do dente é mais fraco, por isso as bebidas ácidas acabam desgastando eles.