Bagagens extraviadas pelas companhias aéreas somam 25 milhões por ano

Ter suas bagagens extraviadas por companhias aéreas pode ser o maior pesadelo de suas férias ou viagem de negócios. Mas o uso de novas técnicas e processos já demonstram bons resultados para resolver esse problema. As companhias aéreas afirmam estar melhorando nesse quesito, porém milhões de bagagens ainda são perdidas todos os anos.

Tecnologias de rastreamento vêem melhorando substancialmente o terror que é perder sua bagagem durante uma viagem. Mesmo as companhias aéreas desmentindo as estatísticas, é fácil identificar histórias de perdas nos aeroportos. “É a pior sensação do mundo!” Como descrevem muitas pessoas que já passaram por esse transtorno.

Bagagens extraviadas pelas companhias aéreas somam 25 milhões por ano
Bagagens extraviadas pelas companhias aéreas somam 25 milhões por ano

Em outras palavras, ficar ao lado da esteira esperando sua mala e ela não aparecer pode ser angustiante. Essa é uma experiência frustrante para milhares de passageiros. Mas porque uma indústria gigantesca como a da aviação, ainda comete erros tão grosseiros? Deveria ser simples, apenas retirar as bagagens do avião e colocar na esteira, ou não? Contudo, vamos ver porque isso ainda acontece.

Número de bagagens extraviadas pelas companhias aéreas caiu de 46,9 milhões em 2007 para 24,8 milhões em 2018

Nos últimos anos, o número de passageiros em viagens aéreas quase que dobrou. Por isso, os problemas com extravio de bagagem só aumentou. De acordo com a SITA, órgão internacional que monitora o manuseio de bagagens, o investimento em tecnologias de rastreamento estão valendo muito a pena.

Por exemplo, empresas americanas como a Delta, incluem um chip RFID (identificação de radiofrequência) naquela etiqueta padrão com código de barras colocada na alça da mala. Esse procedimento é realizado no momento do check-in. Isto é, cada bagagem passa a ter um número único de identificação e pode ser encontrada em qualquer ponto do aeroporto.

150 milhões de etiquetas de rastreamento

A empresa Delta afirma poder manipular perfeitamente 99,9% das bagagens de seus clientes. Por outro lado, outras companhias também estão aderindo a nova tecnologia adicionando as etiquetas RFID e scanners nas malas. Com tanta tecnologia a pergunta persiste: Porque 25 milhões de malas ainda são perdidas todos os anos?

O maior vilão nesse cenário é a transferência de voos de acordo com a SITA. Quando um voo está atrasado, efeitos colaterais acontecem como sua bagagem não chegar ao voo de conexão em tempo. Dessa forma, muitas bagagens são perdidas devido a urgência do embarque e muitas vezes falta de atenção dos carregadores.

Outro fato que contribui muito para o extravio de bagagens é a desatenção dos carregadores. As vezes são contratados pela própria empresa e as vezes são terceirizados, ou seja, parece não haver muito comprometimento com o trabalho neste caso. Quando os profissionais deste setor prestam serviço para todos as companhias, o sumiço de bagagens aumenta e muito.

Na contramão desse caos, empresas como a Zebra, por exemplo, anunciou o fornecimento de 230 computadores portáteis para que carregadores de bagagem em aeroportos gregos pudessem fazer a leitura do código de barras no momento da retirada do avião. De acordo com a Zebra ainda existia muito papel e caneta no processo.

Outras tecnologias podem ajudar

Empresas como a Delta, por exemplo, estão experimentando uma nova tecnologia chamada de “machine learning” (aprendizado da máquina) para fazer a identificação de padrões existentes na perda de bagagens.

Esse sistema permite localizar os pontos fracos no processo de transporte do avião até a esteira. Até mesmo o modelo das malas podem influenciar no aumento desse fenômeno, acreditem!

Entre outras inovações, estão aplicativos das companhias aéreas que informam ao cliente a localização exata de sua bagagem em tempo real. Isso não altera o modo como a mala é manuseada. Porém, muitos passageiros gostam de ter total controle de suas bagagens.

Gosta de viajar? Então acesse nossa sessão Viagens para saber mais.