Acabou… E Agora? Dicas Para Superar o Fim de Um Relacionamento

Foto: Reprodução

Foto: Reprodução

Sempre que uma relação termina é costume que amigos e familiares usem a famosa frase: “o tempo cura todas as feridas”… Mas e enquanto o tempo insiste em passar bem devagar???

O fim de uma relação é sempre doloroso. Namoro, noivado, casamento. Cada um deles com uma intensidade e uma perda diferente, mas ainda assim: sempre é difícil, tenso, inquietante. Uma relação pressupõe afeto, rotina, costumes, manias, vínculo firmado. Perder tudo isso requer um tempo para assimilar, entender e poder seguir em frente.

Então quando o ponto final é colocado, a dificuldade em se adaptar à nova vida “sem” é o grande desafio. Sem dar e receber notícias durante o dia, sem o beijo, abraço, carinho, sem fazer planos futuros juntos, sem aqueles pequenos detalhes, sem toda uma vida construída a dois. Essa é a parte mais difícil. Porque é preciso desaprender tudo que se aprendeu no convívio com outra pessoa.

Tipos diferentes de sofrimento envolvem o fim das diferentes relações. Namoros, de curta ou longa duração, envolvem expectativas, a intensidade da paixão, do começo, do querer ter um futuro, ainda que os planos sejam distantes. O compromisso firmado num relacionamento sério quando desfeito, causa uma perda não apenas do que já foi, mas do que poderia ser lá na frente. Com o noivado é mais delicado, porque os planos futuros já existem. Uma aliança no anelar direito, uma festa com familiares, a perspectiva palpável de um casamento e uma vida em comum. É preciso abrir mão não apenas da relação, mas a solidez de um projeto a dois.

E o casamento então? Especialistas em perdas afirmam que a dor do divórcio só é superada pela perda de um filho. Uma vida em comum, uma rotina, algumas vezes filhos, carros, casa, viagens, promessas, lembranças. Tudo que se vai e a grande dor que fica. Um vazio algumas vezes incapacitante. Tempo e paciência trabalham juntos para ajudar a se reerguer e seguir em frente.

Outro aspecto relevante é COMO o fim se deu. Se foi consensual ou uma decisão de uma das partes. E se foi um fim traumático ou natural. Isso faz toda diferença para o sentimento gerado no pós-término.

Se o casal por um desgaste natural, brigas excessivas, falta de compatibilidade, ou qualquer outra razão resolve terminar o relacionamento. Provavelmente será amigável e menos doloroso. Ambos entendem que é o melhor a ser feito e por mais que seja difícil aceitam as consequências da escolha. Agora se a decisão é de uma das partes, a que não queria o fim, provavelmente terá maior dificuldade em lidar com isso. E mais difícil ainda se a causa for uma traição, uma mentira, uma troca. São esses fins traumáticos que acabam marcando as pessoas e tornando difícil até um novo envolvimento emocional.

E AGORA?

Acabou e não tem mais volta. Uma palavrinha (quase mágica) tem papel fundamental no recomeço pós-término: FOCO! Foco em si mesmo, foco nos estudos, foco no trabalho, nos amigos, na família, em viagens, hobbies, enfim, foco em tudo que existe lá fora. Em tudo que existe além da relação que chegou ao fim.

E aí você pode pensar: “A minha vida nunca mais será a mesma”. Não será mesmo! Afinal você passou por uma experiência, foi bom, foi ruim, aprendeu e mudou, é para isso que as tais experiências servem, para o famoso clichê do crescimento e amadurecimento. Pode parecer pouco, mas é real. As perdas bem ou mal ajudam a aprender, crescer e por aí vai.

Mas seu pensamento não para: “Nunca serei capaz de amar novamente”. Isso é verdade, você nunca mais amará igual novamente, porque nenhuma relação é igual a outra. Ama-se diferente, mas sempre é possível amar. A menos que você escolha se fechar e não olhar sequer para o lado. Isso é o bonito de nós humanos: essa capacidade de ressurgir de novo, de novo, de novo e sempre se dar uma nova chance.

Ainda insatisfeito(a) você questiona: “Não fui bom/boa o suficiente”. Devolvendo a pergunta: “Quem é???”. Ninguém! Numa relação ninguém nunca será bom o suficiente ou perfeito de verdade. Existem erros, falhas e eles serão cometidos aos montes. Algumas relações resistem, se firmam, outras não. Mas ninguém é culpado sozinho pelo fim de qualquer relação. Não existem vítimas e algozes. Existem duas pessoas errando, acertando e tentando. Se não deu certo, não deu. Buscar culpados ou se achar vítima não resolve o problema, apenas adia a solução.

“Será que ainda tem volta?”. Ponto final é final. Ainda que no futuro (próximo ou distante) haja uma retomada da relação, viver em função disso não fará bem a ninguém. Encarar como um final definitivo ajuda a seguir em frente, tocar a vida sem se manter na expectativa constante (e por vezes frustrante) de receber uma proposta de reatar. Evite manter contatos, nada de enviar sms, e-mails e ligações no meio da noite. Isso não traz ninguém de volta, isso afasta e chateia. Afastar-se ajuda a entender melhor a situação.

Lembra-se do foco? Ele é quem dá força para seguir em frente. Durante um relacionamento a atenção é sempre dividida entre si mesmo e o outro, ou muitas vezes fixa-se a atenção só no outro. Então aproveitar um término para focar em si mesmo é um grande passo em direção a finalizar a relação dentro de si.

Cada um descobre o seu jeito de lidar com esse fim. Uns investem no estudo, outros no trabalho, outros em diversão. A tática não importa muito, o que importa é se mover. Porque ficar parado esperando a dor passar não resolve. Assim, nem o tempo cura ferida alguma. O que cura é levantar, limpar, colocar remédio, curativo e ai sim, o tempo faz cicatrizar! Mãos à obra, seu coração espera que você faça alguma coisa a respeito.


Colunista
Psicóloga com atuação em hospitais e clínica. Apaixonada por livros, faz uso do seu tempo livre para escrever e trazer dicas baseadas em sua experiência como profissional. Além de possuir um blog e auxiliar pessoas do Brasil todo através dessa rede social. Fernanda é baiana, mas atualmente mora em Recife. Conheça o novo projeto dela: "Os contos sem fada"
6 total pingbacks on this post
Envie seu comentário

Por favor insira seu nome

Seu nome é requerido

Por favor insira seu email

Um email é requerido

Por favor entre uma mensagem

Customização por inflar.com Criação de Sites e design por WPShower. Política de Privacidade. Google+

Feito com WordPress.

Mais Conhecimento

Para Um Vida Melhor!

"O conhecimento torna a alma jovem e diminui a amargura da velhice. Colhe, pois, a sabedoria. Armazena suavidade para o amanhã." — Leonardo da Vinci
"Receber essas dicas é como fazer um curso gratuito de conhecimentos gerais! Obrigado!" — Nobre Leitor Dicazine